18 de Junho de 2021

MP da Eletrobrás passa no Senado com mais jabutis

Prezadas leitoras, caros leitores — Em julho, dois dos três bilionários que fundaram empresas aeroespaciais vão deixar a Terra e flutuar para além da atmosfera num passeio turístico. São Richard Branson e Jeff Bezos. Ainda não será a vez do terceiro, Elon Musk. Mas a era do turismo espacial acaba de começar. As companhias são três. A SpaceX, de Musk, que já é contratada da NASA para levar tripulantes até a Estação Espacial Internacional. A Blue Origin, de Bezos, que briga com Musk por este mercado governamental. E, correndo por fora, a Virgin Galactic de Branson. Os três têm visões muito diferentes de negócios — principalmente a longo prazo. Musk tem por meta chegar a Marte, e quando possível colonizar o planeta. Ele não vê muitas esperanças para o futuro da Terra. Bezos é o oposto. Acredita que as indústrias mais pesadas podem no futuro ir para a Lua de ... (Leia mais)

17 de Junho de 2021

Às pressas: Câmara afrouxa lei contra maus gestores

A Câmara aprovou a toque de caixa e por ampla maioria (408 a 64) o projeto que altera a Lei de Improbidade Administrativa, tornando mais difícil a punição a maus administradores públicos. Uma das principais mudanças no texto, que segue para o Senado, é a exigência de que fique provada a intenção do administrador em lesar os cofres públicos. Prejuízos causados por negligência ou incompetência passam a ser impunes. A pressa na votação foi obra do presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), que tirou o projeto da comissão que o analisava e o levou direto ao Plenário. Lira foi condenado em primeira instância em dois processos por improbidade na Justiça de Alagoas. (Folha) E quatro líderes na Câmara respondem a processos por improbidade. Veja quem são. (Globo) Presidentes de cinco partidos da centro-esquerda à centro-direita se reuniram ontem em Brasília para iniciar a discussão de uma candidatura única às eleições ... (Leia mais)

16 de Junho de 2021

Huck vai para o domingão e Centro esvazia mais um pouco

Prezadas leitoras, caros leitores — Começa hoje, e sairá toda quarta-feira, a editoria Finanças em Dia. A gente presta tanta atenção nas transformações das coisas ao redor — os eletrodomésticos, os relógios, o jeito de trabalhar — e não nos tocamos que, lentamente, também o dinheiro vai se tornando digital. Cada vez pegamos menos em notas e cada vez mais fazemos transações em que o dinheiro, dinheiro mesmo, sequer é visto. Ao mesmo tempo, passamos a viver numa economia em que o juro básico está mais baixo do que nunca. Isso muda a maneira de pensar as nossas finanças. Em casa, mesmo. E este é o foco de Finanças em Dia. O patrocínio é do Banco Bari. É hora de começarmos a administrar nosso dinheiro de forma inteligente. Não é à toa: produtos financeiros, aqueles que os bancos costumam nos oferecer, parecem sempre exigir um diploma para compreender. Como distinguir ... (Leia mais)

15 de Junho de 2021

Primeiro, ignorou — Agora, Bolsonaro corre atrás da Pfizer

Após passar o segundo semestre de 2020 ignorando as ofertas de vacinas da Pfizer, o presidente Jair Bolsonaro participou ontem de uma reunião virtual com o presidente da farmacêutica para a América Latina, Carlos Murillo. O objetivo foi tentar “antecipar ao máximo as doses contratadas”. A Pfizer tem compromisso de entregar 100 milhões de doses até setembro. Mas o governo, agora, quer que elas cheguem antes. (G1) Enquanto isso... A CPI da Pandemia tem em mãos uma troca de e-mails mostrando o forte empenho do governo em obter cloroquina no exterior, mesmo depois de o medicamento ser descartado por autoridades sanitárias internacionais no tratamento da Covid. A ação contrasta com o pouco caso na aquisição de vacinas. (Estadão) O relator Renan Calheiros (MDB-AL) disse que vai pedir ao presidente da comissão, Omar Aziz (PSD-AM), que passem a ser considerados investigados os ex-ministros da Saúde Eduardo Pazuello e das Relações Exteriores ... (Leia mais)

14 de Junho de 2021

Aliado de Bolsonaro, governo Netanyahu cai em Israel

Foi por pouco, muito pouco. Apenas um voto deu fim aos 12 anos de mandato de Benjamin Netanyahu como primeiro-ministro de Israel, o mais longo na história do país. O resultado da votação no Knesset (o Parlamento israelense) foi 60 a 59 com uma abstenção, o que levou ao poder uma colcha de retalhos formada por partidos de todas as tendências. Com apoio de partidos de esquerda e de agremiações árabes, a cadeira de premiê vai ser ocupada pelo ultradireitista Naftali Bennet. Pelo arranjo, ele ficará 18 meses no cargo e revezará com o moderado Yair Lapid, idealizador da coalizão. Apesar da margem estreitíssima no Parlamento, espera-se que o novo governo ponha fim à instabilidade política em Israel, que teve quatro eleições gerais em dois anos. (UOL) Netanyahu é o segundo aliado que Jair Bolsonaro vê apeado do poder em poucos meses — o primeiro foi Donald Trump nos EUA. ... (Leia mais)

12 de Junho de 2021 | PREMIUM

Edição de Sábado: Como desmontar um golpe de Estado

No último dia 6 de janeiro, o Congresso americano se reuniu para homologar a eleição presidencial que havia designado Joe Biden sucessor de Donald Trump na Casa Branca. Enquanto os parlamentares trabalhavam, em frente à residência presidencial Trump discursava perante um grande grupo de seguidores. “Nós vamos descer a Pennsylvania Avenue”, ditou o presidente, “e tentaremos dar aos republicanos fracos, porque os fortes não precisam de ajuda, vamos tentar dar a eles o tipo de orgulho e bravura que precisam ter para tomar de volta nosso país.” A Pennsylvania, que corta transversalmente quase toda a cidade de Washington, liga a Casa Branca ao Capitólio, o prédio do Parlamento, três quilômetros distante, não mais que meia hora de caminhada. Desde semanas antes, grupos paramilitares radicalizados e favoráveis a Trump vinham já planejando uma invasão do prédio. Com o incentivo do presidente em seus últimos dias, a eles se juntou uma multidão ... (Leia mais)

11 de Junho de 2021

Queiroga diverge de Bolsonaro sobre máscaras

Prezadas leitoras, caros leitores — Como se dá um golpe de Estado? Sim, tanto cá neste Meio quanto noutros cantos, vocês certamente já leram que não existem mais golpes de Estado no sentido clássico do termo. Não há mais tanques nas ruas, generais subindo rampas. O processo de ruptura democrática hoje ocorre de forma muito mais lenta, dissolvendo as instituições por dentro, em geral até mantendo eleições. Não há um golpe, há um processo de democraticídio lento. É verdade — mas não é regra. Em fevereiro, o governo de Myanmar foi derrubado por um golpe militar clássico. Também não é só em países miúdos que este tipo de coisa ocorre: em 2013, no Egito, outro golpe clássico se deu. Até mais recentemente, em 2016, aconteceu um terceiro, na Turquia. Não deu certo, mas chegou perto. Em 2019, outra tentativa rolou bem perto. Na Bolívia. Pois bem: quando o alto-comando do ... (Leia mais)

10 de Junho de 2021

TCU afasta auditor bolsonarista; PF investiga suas ações

O Tribunal de Contas da União (TCU) afastou por 60 dias o auditor Alexandre Figueiredo Costa Silva Marques e pediu que ele seja investigado pela Polícia Federal. Marques é suspeito de ter criado e inserido no sistema do tribunal um documento pessoal com dados distorcidos apontando um suposto superdimensionamento nas mortes por Covid. O “relatório” foi citado por Bolsonaro e desmentido pelo próprio TCU. A CPI da Pandemia decidiu ontem convocar o auditor. (Estadão) Alexandre Marques é filho do coronel reformado do Exército Ricardo Silva Marques, colega de Bolsonaro na Academia Militar. O ex-militar ocupa um cargo comissionado na Petrobras desde 2019 e se reuniu com o presidente pelo menos três vezes. (Metrópoles) Com o caso do TCU ainda quicando, Bolsonaro criou nova polêmica com informações falsas. Ele comparou as vacinas à cloroquina, dizendo que “ainda são experimentais”. (Estadão) Enquanto isso, na CPI da Pandemia... Em depoimento ontem, o coronel ... (Leia mais)

9 de Junho de 2021

SinoVac suspenderá vacinas se Bolsonaro seguir com ataque à China

O laboratório chinês SinoVac, que desenvolveu a CoronaVac e fornece insumos para o Butantan produzi-la, condicionou a continuidade do envio do material ao fim dos ataques à China feitos pelo governo brasileiro. O furo, das jornalistas Natália Portinari e Julia Lindner, dá conta de que a Embaixada do Brasil em Pequim já ouviu a mensagem e a repassou ao Itamaraty. (Globo) Enquanto isso... Finalmente um ministro da Saúde (no cargo) contradisse Jair Bolsonaro e reconheceu que a cloroquina é inútil contra a Covid-19, assim como os demais “tratamentos precoces preconizados pelo presidente. Em seu segundo depoimento à CPI da Pandemia, Marcelo Queiroga também admitiu que, embora afirme ter autonomia no cargo, isso não significa “carta branca para fazer tudo o que quer”. Mas Queiroga, mais uma vez, usou dados falsos. Desta vez ao falar sobre o número de infectados no Campeonato Brasileiro e das reuniões que teve com Bolsonaro. O ... (Leia mais)

8 de Junho de 2021

Exército quer esconder processo de Pazuello por um século

Contrariando princípio constitucional da Transparência e entendimentos anteriores da Controladoria-Geral da União (CGU), o Exército impôs sigilo de 100 anos sobre o processo administrativo contra o general Eduardo Pazuello. No dia 23 de maio, o ex-ministro da Saúde participou de ato político com o presidente Jair Bolsonaro no Rio, o que viola o regulamento do Exército. Após pressão do Planalto, o comando da Força decidiu não punir Pazuello e arquivou o processo, agora posto em sigilo por um século por “conter informações pessoais”. Em casos semelhantes, a CGU determina que processos administrativos fiquem em sigilo apenas até o julgamento ou arquivamento. (Globo) O Tribunal de Contas da União (TCU) desmentiu na tarde de ontem Jair Bolsonaro, que falara mais cedo a apoiadores de um relatório do órgão “publicado há alguns dias” indicando que 50% das mortes atribuídas à Covid-19 no ano passado não tinham sido causados pela doença. Era mentira. ... (Leia mais)

7 de Junho de 2021

Presidente da CBF cai; seleção na Copa América é mistério

Prezadas leitoras, caros leitores — Em 7 de junho de 1977, pouco mais de três mil jornalistas assinaram juntos um manifesto exigindo o fim da censura e instauração, no Brasil, de uma imprensa livre. O país vivia o governo Ernesto Geisel, a abertura lenta e gradual, e enfim dava para botar o nome num papel destes sem que prisão, tortura e morte fossem garantidos. Mas foi um primeiro teste que exigiu coragem. A linha dura pressionava o governo e tentava reverter o fim da Ditadura. O diretor da TV Cultura, Vladimir Herzog, havia sido assassinado nos porões, e por agentes do governo, apenas um ano e meio antes. O manifesto organizado pela Associação Brasileira de Imprensa faz 44 anos, hoje. É por isto que celebramos, todo 7 de junho, o Dia Nacional da Liberdade de Imprensa. É a liberdade de fazermos isto aqui, esta newsletter que chega a vocês todos ... (Leia mais)

5 de Junho de 2021 | PREMIUM

Edicão de sábado: A tragédia da Covid na saúde mental dos jovens indígenas

Como você se sentiria se uma catástrofe destruísse as escolas, as bibliotecas, os museus, os arquivos, tudo aquilo que nos liga a nosso passado? Pois foi exatamente o que a Covid-19 fez a comunidades indígenas ao ceifar os anciãos. E as vítimas não foram apenas os que morreram, mas também os jovens, privados de suas referências, suas interações sociais, seus rituais e tantos outros elementos de seu cotidiano. A pandemia é como um malho que cai mais pesado sobre os mais vulneráveis. Como isso afetou seu bem-estar mental, só os próprios jovens poderiam dizer. Para isso, entre novembro de 2020 e janeiro deste ano, 533 indígenas entre 15 e 22 anos de oito regiões do território amazônico ganharam voz no projeto Saúde mental de populações indígenas na Amazônia brasileira no contexto da Covid-19, uma parceria entre o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), o Instituto Leônidas e Maria ... (Leia mais)

4 de Junho de 2021

Exército quebra disciplina e se curva a Bolsonaro

Prezadas leitoras, caros leitores — A pandemia da Covid-19 está sendo o acontecimento definidor de nossas vidas, pelo menos para aqueles que nasceram após a Segunda Guerra Mundial. Nenhum aspecto de nosso cotidiano passou incólume por ela. A saúde, a economia, a educação e as relações familiares, sociais e de trabalho são os mais óbvios. E todos eles desaguam em nossa saúde mental. Ao mesmo tempo, o coronavírus alargou e aprofundou abismos sociais, econômicos e culturais. A pandemia cai mais pesada sobre os mais vulneráveis. Não estamos todos no mesmo barco; estamos na mesma tempestade em embarcações diferentes, e algumas são muito frágeis. O que acontece quando esses dois aspectos se encontram? Como está a saúde mental de um dos grupos mais vulneráveis do Brasil, o dos povos indígenas? Especialmente os mais jovens, geralmente divididos entre dois mundos. Pela primeira vez, uma ampla pesquisa deu voz a esses rapazes e ... (Leia mais)

2 de Junho de 2021

Bolsonaro dobra a aposta: Pazuello no Planalto e Copa América no Brasil

Prezadas leitoras, caros leitores — Em virtude do feriado nacional de Corpus Christi, cá este Meio não circulará amanhã, 3 de junho. Estaremos de volta na sexta-feira com tudo o que você precisa saber para começar o dia bem informado em apenas oito minutinhos de leitura. Aproveitem o feriado com responsabilidade. Fiquem bem, fiquem seguros. — Os editores Compartilhe Tweet Compartilhe Bolsonaro dobra a aposta: Pazuello no Planalto e Copa América no Brasil A despeito do recrudescimento da Covid-19 e todas as críticas, o presidente Jair Bolsonaro confirmou oficialmente ontem que a Copa América vai acontecer no Brasil, entre os dias 13 de junho e 30 de julho. Além do Distrito Federal, primeira sede escolhida, Rio de Janeiro, Goiás e Mato Grosso, todos estados alinhados com o Planalto, se dispuseram a receber partidas. Confira a situação em cada estado. (Globo) As críticas vêm de todos os lados. O presidente da ... (Leia mais)

1 de Junho de 2021

Bolsonaro aceita Copa América, recua após indignação das redes

Foi num tom celebratório que a Confederação Sul-Americana de Futebol, a Conmebol, anunciou ontem, no final da manhã, que a Copa América ocorreria no Brasil. Àquela altura, primeiro Colômbia, depois Argentina, haviam se recusado a sediar a competição por cuidados com a crise da Covid. A notícia pegou a todos de surpresa. “Quero agradecer muy especialmente ao presidente Jair Bolsonaro por receber o torneio”, publicou no Twitter o líder da entidade, Alejandro Domínguez. Nas redes e sites da imprensa, a notícia foi recebida com ampla indignação. E, dada a reação, o ministro da Casa Civil, Luiz Eduardo Ramos, sinalizou recuo. Afirmou que a realização da competição ainda não está certa e que o governo faz algumas exigências, como estádios sem torcida e todos os jogadores vacinados. Os jogos estão previstos para acontecerem entre 13 de junho e 10 de julho. (Globo) O Brasil é o segundo país com mais mortes ... (Leia mais)

31 de Maio de 2021

E o antibolsonarismo chega às ruas...

Pela primeira vez desde o início da pandemia, as ruas deixaram de ser território bolsonarista. No sábado, protestos contra o presidente Jair Bolsonaro aconteceram em mais de 200 cidades. Embora o uso de máscaras fosse generalizado, as aglomerações foram motivo de críticas e de divisão nos movimentos sociais. CUT e MST não fizeram convocação dos atos, embora tivessem liberado seus militantes. Segundo os organizadores, foram cerca de 420 mil manifestantes, incluindo 80 mil na Avenida Paulista, em São Paulo. (Folha) O bolsonarismo acusou o golpe. Nas redes sociais, perfis de apoiadores do presidente espalharam notícias falsas de que os vídeos da manifestação de sábado seriam de um ato contra o impeachment Dilma Rousseff em 2016, embora imagens de cartazes com críticas a Bolsonaro e bonecos infláveis dele fossem visíveis. (Estadão) E o líder do governo na Câmara, Ricardo Barros (PP-PR), disse que os atos de sábado consolidam a polarização entre ... (Leia mais)

29 de Maio de 2021 | PREMIUM

Edição de Sábado: A Sociedade do Espetáculo e Bolsonaro

Não era algo que boa parte dos analistas esperasse. Mas a CPI da Covid mais que dobrou a audiência da TV Senado na tela grande — e isto não conta o público via internet. As transmissões alavancaram a GloboNews a líder em audiência no cabo e a CNN Brasil teve, também, considerável aumento. Acabou o Big Brother Brasil, a CPI virou a nova campeã de audiência, o novo entretenimento do brasileiro. Ao primeiro olhar pode parecer um espetáculo monótono. Cativa, porém, e principalmente explica. Faz entender como, quando e por que o Palácio do Planalto fez campanha contra o combate à pior pandemia em um século. Os resultados desta audiência já começam a se mostrar nas pesquisas. Números do PoderData indicam que 67% dos brasileiros estão acompanhando os trabalhos da comissão. E 62% desejam o impeachment do presidente. Este número nunca foi tão alto. Isto num país em que 97% ... (Leia mais)

28 de Maio de 2021

Bolsonaro atrapalhou oferta de vacinas, diz diretor do Butantan

Prezadas leitoras, caros leitores — A gente sabe, vocês já ouviram a piada. O Big Brother Brasil acabou, substituímos pela CPI da Covid. Mas é só parcialmente brincadeira — em verdade, é bastante sério. A audiência da TV Senado dobrou. A GloboNews passou a liderar dentre as telas ligadas em TV paga no Brasil no horário das audiências. Há preocupação cívica, claro. Mas não é só. Trata-se de um espetáculo, assim como o BBB. É teatro. A política na era da TV já tinha muito de espetáculo. No tempo digital foi além. É um jogo de torcidas que se estabelece, de construir mensagens e batalhar para que sejam repetidas, uma constante disputa pelos papeis de mocinho e bandido. Cada senador, cada parlamentar, e mesmo muitos dos entrevistados desempenham personagens para seus próprios celulares tendo por público os seguidores nas muitas redes. A consciência de que é um espetáculo tem muito ... (Leia mais)

27 de Maio de 2021

Punição de Pazuello gera impasse entre Exército e Bolsonaro

Fracassaram as pressões para que o general Eduardo Pazuello passe imediatamente para a reserva. Segundo militares envolvidos na tentativa de persuasão, o ex-ministro da Saúde avisou que só deixa o Exército depois de concluída a CPI da Pandemia, da qual é um dos principais alvos, revela a repórter Carla Araújo. Pazuello teme que, sem a proteção da farda, os senadores se sintam tentados a prendê-lo em função das sucessivas mentiras em seu primeiro depoimento. O problema é que ele responde a um processo interno por ter participado de um ato político com o presidente Jair Bolsonaro, o que viola as regras das Forças Armadas. O Comando do Exército esperava que a ida para a reserva atenuasse uma eventual punição. (UOL) O ministro da Defesa, Braga Netto, e o comandante do Exército, general Paulo Sérgio Nogueira, se encontram hoje com Bolsonaro no Amazonas. Vão tentar convencê-lo a aceitar que Pazuello seja ... (Leia mais)

26 de Maio de 2021

Secretária desmente Pazuello na CPI, general teme voltar

A CPI da Pandemia vota hoje o requerimento para reconvocar a depor o ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello. Desta vez, os senadores terão mais munição. Ao longo de mais de seis horas de oitiva, a secretária de Gestão do Trabalho e da Educação do Ministério da Saúde, Mayra Pinheiro, desmentiu o general sobre a crise do oxigênio em Manaus. Pazuello disse que ficou sabendo da situação no dia 10 de janeiro, mas a secretária informou que o ministério foi informado no dia 7. Ela também afirmou que houve orientação do Ministério da Saúde para adoção de tratamento precoce e sem eficácia contra a Covid-19. (Globo) Apelidada de ‘capitã cloroquina’, Mayra Pinheiro também desmentiu Pazuello sobre um suposto ataque hacker ao aplicativo TrateCov, retirado do ar após ser revelado que ele recomendava os tratamentos ineficazes para quaisquer sintomas. A secretária negou o ataque e que o aplicativo tivesse sido modificado. (G1) ... (Leia mais)