12 de Abril de 2021

Bolsonaro pressiona para mudar foco de CPI da Covid

A abertura de uma CPI para investigar a conduta do Executivo na pandemia, determinada pelo ministro do STF Luiz Roberto Barroso, acendeu um sinal amarelo no Palácio do Planalto. A estratégia adotada pelo presidente Jair Bolsonaro é de pressionar senadores a ampliar o escopo para investigar também governadores e prefeitos. Sem isso, diz o presidente, a CPI “só vai ouvir gente nossa” e produzir “um relatório sacana”. A pressão (e os termos) estão numa conversa por telefone com o senador Jorge Kajuru (Cidadania-GO), que a gravou e divulgou no YouTube. Bolsonaro pediu também que Kajuru cobrasse andamento para os pedidos de impeachment contra ministros do Supremo, como forma de contra-atacar a Corte. (Globo) E a pressão parece surtir efeito. O senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE), protocolou um pedido à Mesa Diretora do Senado para que a comissão investigue também as condutas de prefeitos e governadores, o que não consta do pedido ... (Leia mais)

10 de Abril de 2021 | PREMIUM

Edição de Sábado: Biden, o radical

Quando Ronald Reagan chegou ao Capitólio numa manhã atipicamente quente para um 20 de janeiro, em 1981, ele se vestia ainda como um homem de outro tempo. Terno completo — a calça e paletó pretos, o colete e a gravata num tom claro de cinza. Abotoaduras. Douradas. Ele próprio modernizaria a vestimenta na segunda posse, apenas quatro anos depois, dispensando o colete, usando gravata marrom listrada. Mas isso foi só depois. Naquele dia, após jurar a Constituição, beijar na bochecha a mulher Nancy, ao som da marcha Here Comes the Chief Reagan cumprimentou seu antecessor Jimmy Carter e se pôs perante o microfone com um sorriso ligeiro. Deu ao discurso um tom formal e ao mesmo tempo fluido. Ele sabia ser eloquente, mas naquela manhã preferiu um cuidadoso equilíbrio entre o formal e a conversa amiga, sempre sério, nunca coloquial demais, mas direto ao ponto. O velho ator, com pleno ... (Leia mais)

9 de Abril de 2021

Barroso manda Senado desengavetar CPI da Pandemia

Prezadas leitoras, caros leitores — Há forças históricas se movendo nos Estados Unidos. De tempos em tempos a maneira de compreender o mundo, o país, o Estado, muda. São arcos de décadas. Um Estado ativo foi a regra entre a posse de Franklin Delano Roosevelt, em 1933, e a ascensão de Ronald Reagan — 1980. Quase meio século. Democratas como Lyndon Johnson, republicanos como Dwight Eisenhower, o jeito de entender era o mesmo. Nos últimos quarenta anos a regra foi um Estado ausente — “a era do governo grande terminou” disse certa vez o democrata Bill Clinton. Não mais. Mas não é só o jeito de pensar o Estado que o governo Joe Biden está mudando. A política do século 21 até aqui tem sido, mundialmente, dominada por populistas. Governantes que fazem o discurso de que há uma elite contra o povo. O novo presidente americano é o oposto disso. ... (Leia mais)

8 de Abril de 2021

Sem insumos, Butantan para de fabricar CoronaVac

Principal vacina contra a Covid-19 em uso no Brasil, a CoronaVac teve sua produção interrompida pelo Instituto Butantan por falta de insumos provenientes da China, que está concentrando recursos na imunização no próprio país. A instituição, ligada ao governo paulista, ainda fará uma entrega ao Ministério da Saúde na próxima semana, já que tem um estoque de 2,5 milhões de doses prontas em processo de controle de qualidade. (CNN Brasil) E o Brasil corre o risco de não receber nem uma dose da vacina da Pfizer, após o Ministério da Saúde publicar na Internet a íntegra do contrato com a farmacêutica americana, o que caracteriza quebra da cláusula de confidencialidade do contrato. O texto ficou dez dias no ar, até ser retirado a pedido da empresa, que ainda se manifestou sobre as medidas que tomará. (Globo) Enquanto isso... A Anvisa mandou que a Fiocruz alterasse a bula da CovaShield, a ... (Leia mais)

7 de Abril de 2021

Um dia, 4 mil mortos: a tragédia brasileira

Prezadas leitoras, caros leitores — Hoje à noite vamos realizar uma live diferente aqui no Meio: o primeiro Fórum Derrubando Muros. O tema é a indústria da desinformação. Para conduzir a conversa, convidamos três pessoas que entendem muito do assunto. São a jornalista Vera Magalhães, apresentadora do Roda Viva e colunista de O Globo e da CBN; Pablo Ortellado, professor da USP; e Marco Aurélio Rudiger, diretor da FGV-DAPP. A live é uma parceria com o grupo Derrubando Muros, que reúne empresários, acadêmicos, diplomatas, terceiro setor, políticos, investidores, gente de diversas instituições com um objetivo principal: restabelecer o diálogo político no Brasil. Durante o encontro, algumas pessoas do grupo, no papel de anfitriões, farão perguntas. São Priscila Cruz (Todos Pela Educação); Fersen Lambranho (empreendedor); Beto Verissimo (Imazon); Antônio Britto (jornalista e ex-governador gaúcho); e Roberto Freire (ex-senador e presidente do Cidadania). Haverá uma segunda rodada de perguntas vindas do público. ... (Leia mais)

6 de Abril de 2021

STF decide amanhã abertura de igrejas

Prezadas leitoras, caros leitores — Hoje damos as boas-vindas a um novo anunciante. É a Cadastra, talvez a principal consultoria brasileira em transformação digital. Em mais de vinte anos, trabalha pela entrada de vez de seus clientes no século 21 ajudando simultaneamente na garantia de performance digital, de comunicação e marketing, tudo com tecnologia. Com este DNA, não poderia patrocinar uma editoria diferente: Transformando Negócios, todas as terças-feiras. Esta é uma de nossas obsessões. Migrar da realidade do século 20 para a do 21 é uma tarefa difícil. Chacoalha empresas, transforma culturas, e é o que leva à sobrevivência. Como todas as editorias patrocinadas que publicamos, o conteúdo é jornalístico, é produzido pela gente, aqui no Meio. É a oportunidade de tratar melhor assuntos que fazem diferença no mundo, na vida. — Os editores Compartilhe Tweet Compartilhe STF decide amanhã abertura de igrejas A polêmica liminar do ministro do STF ... (Leia mais)

5 de Abril de 2021

Marques libera cultos, STF deve levar caso a plenário

Prezadas leitoras, caros leitores — Há duas semanas pedimos a vocês que respondessem a uma pesquisa. Era para conhecermos o perfil de quem fez do Meio parte de suas vidas. Somos, hoje, uma comunidade de mais de 120 mil pessoas lendo a newsletter diária, além dos 65 mil assinantes que acompanham o que produzimos no YouTube. E, caramba, que grupo. Vivem por todo o Brasil e em mais de 50 outros países. São jovens e adultos — 13% com menos de 24 anos, 56% entre 25 e 44. Mais de 86% têm ensino superior ou pós. (O grupo com pós é maioria.) Um quinto são diretores ou presidentes das empresas em que trabalham. E seus hábitos são digitais. Preparamos um material que inclui gráficos com mais detalhes. Muito obrigado =) — Os editores Compartilhe Tweet Compartilhe Marques libera cultos, STF deve levar caso a plenário Causou grande mal estar entre ... (Leia mais)

3 de Abril de 2021 | PREMIUM

Edição de Sábado: Quando um levante PM derrubou um presidente

No final da tarde de 3 de outubro, em 1930, a Brigada Militar do Rio Grande do Sul passou em marcha pelos portões do Quartel-General da 3a Região Militar. Aqueles soldados gaúchos atendiam por este nome, Brigada Militar, desde que foram consolidados numa só força, em 1892, pouco tempo após a Proclamação da República. Exerciam dois papeis simultâneos — eram como que um pequeno exército estadual, mas eram também uma polícia militar, uniformizada e obediente ao governador. Em 1968, passaram a atender por este nome. Polícia Militar do Rio Grande do Sul. Mas, em 1930, eram ainda a Brigada Militar e, na tarde daquele 3 de outubro, passaram em marcha perante o QG do Exército Brasileiro em Porto Alegre. As sentinelas não prestaram muita atenção naquela marcha. Ela começara a ocorrer todos os dias após o fim do expediente umas semanas antes. Eram ordens de Oswaldo Aranha, secretário do Interior ... (Leia mais)

1 de Abril de 2021

Manifesto pela democracia une presidenciáveis do centro

Prezadas leitoras, caros leitores — Amanhã é Sexta-Feira Santa, feriado por aqui no Brasil, e cá, de nossa parte, iremos tirar o dia e almoçar peixe. O Meio volta a circular no sábado, para os assinantes premium. E na segunda-feira, para todos. Ao que tudo indica, o presidente Jair Bolsonaro comprou uma briga com as Forças Armadas e se viu obrigado a retroceder. Mas isto não quer dizer que não haja mais risco de violência. O movimento ensaiado por deputados da base governista, que tentaram insuflar a PM baiana a um levante no início da semana, é mostra disso. PMs e militares de baixa patente formam a tradicional base eleitoral da família Bolsonaro, e eles vêm sendo cultivados. Já aconteceu antes. Uma das formas como tentamos trazer contexto para o que acontece na semana nas edições premium é mergulhando na história do Brasil. É revelando o que já aconteceu não ... (Leia mais)

31 de Março de 2021

Crise desgasta Bolsonaro com comando militar

Nunca antes na história: os comandantes do Exército, Edson Pujol, da Marinha, Ilques Barbosa, e da Aeronáutica, Antonio Carlos Bermudez, foram sumariamente e simultaneamente demitidos por ordem do presidente Jair Bolsonaro. O trio decidira entregar os cargos em solidariedade ao general Fernando Azevedo e Silva, demitido na véspera do Ministério da Defesa por, supostamente, não dar o apoio militar que Bolsonaro desejava. Walter Braga Netto, o novo ministro, convocou-os para uma reunião na manhã de ontem. Parecia que era para tentar dissuadi-los. Mas já chegou com as ordens de demissão. (Folha) O tom da reunião pegou de surpresa os comandantes. O encontro foi marcado por frases duras e tapas na mesa. Braga Netto disse que as mudanças eram para o “realinhamento” das Forças Armadas com Bolsonaro e a manutenção do apoio ao governo, o que irritou ainda mais os demitidos. O mais exaltado, segundo participantes, foi o almirante Ilques, considerado ... (Leia mais)

30 de Março de 2021

Bolsonaro afaga Centrão e tenta enquadrar militares

A segunda-feira já havia amanhecido tensa, em Brasília, com deputadas bolsonaristas tentando insuflar um motim policial-militar na Bahia. Como se o Senado inteiro não tivesse declarado guerra ao ministro das relações exteriores apenas na véspera. Mas aí Ernesto Araújo caiu e num repente, uma após a outra, mudaram de ocupante ao todo seis cadeiras ministeriais. E o choque: demitido o ministro da Defesa. Ameaça de demissão do comandante do Exército. Ruídos de autogolpe. Como de hábito, acuado, Jair Bolsonaro tentou simultaneamente agradar ao Centrão — como revela Andréia Sadi — para afastar risco de impeachment enquanto, com a outra mão, fazia um aceno de radicalização. Esta não é uma história ainda com desfecho claro. Aqui vai o que sabemos até agora. (G1) A primeira mudança do dia era a prevista. Ernesto Araújo pediu demissão obrigado após dois anos colecionando polêmicas e uma semana de guerra com o Senado. Depois de ... (Leia mais)

29 de Março de 2021

Senado e Araújo em guerra aberta

Com a cabeça a prêmio, o chanceler Ernesto Araújo pagou para ver e partiu para o ataque contra o Senado. No Twitter, o ministro afirmou que a senadora Kátia Abreu (PP-TO) o visitou do Itamaraty e disse que ele seria “o rei do Senado” se fizesse um “gesto em relação do 5G”. O gesto, segundo Araújo, seria adotar uma posição favorável à China, país com o qual o chanceler acumula atritos. (Poder360) Lauro Jardim: “Kátia Abreu disse aos senadores que Araújo mentiu ao sugerir que ela o pressionou a fazer um ‘gesto em relação ao 5G’. A senadora quer que a Casa tome uma ‘medida séria’ contra o chanceler. A senadora disse ainda que há uma ação orquestrada nas redes bolsonaristas para espalhar que Arthur Lira e os senadores foram comprados pela chinesa Huawei. ‘Vagabundo’, ‘psicopata’ e ‘mentiroso’ foram alguns dos adjetivos dirigidos ontem ao chanceler.” (Globo) Pois é... O ... (Leia mais)

27 de Março de 2021 | PREMIUM

Edição de Sábado: Nove países, Nove experiências de Covid

É consenso, no mundo, que o Brasil lidou muito mal com a pandemia. Mas e outros países, o que fizeram? As estratégias foram diversas. Em alguns casos, como o chinês, o fato de haver um regime ditatorial permitiu mapear a epidemia com detalhes. Já que o governo sabia onde estava cada cidadão em qualquer momento, pelo controle de celulares e câmeras, foi possível localizar quem esteve com pessoas infectadas e construir algo parecido com um lockdown personalizado. Mas também democracias fizeram rastreamento. Israel, impondo o serviço às companhias telefônicas. A Coreia do Sul contando com a disciplina voluntária da população. Os países que conseguiram manter um sistema de rastreamento sofreram menos com isolamento social. Houve países que apostaram em enfrentar a pandemia de peito aberto, contando com gerar imunidade de rebanho. A Suécia fez isso. A imunidade não veio. O que veio foi um dos maiores índices de morte do ... (Leia mais)

26 de Março de 2021

Araújo na mira do Centrão

Prezadas leitoras, caros leitores — A essas alturas, já está claro que o Brasil está fazendo tudo errado na lida com a pandemia de Covid-19. Mas raramente nos detemos na avaliação de como outros países lidaram. Que erros cometeram, onde foi que acertaram. Na edição deste sábado, é este mergulho que o Meio dará: nove países e como foi sua experiência de enfrentamento da pandemia. Nossa lista inclui Nova Zelândia e Israel, China e Suécia, ilhas e países muito grandes, democracias e ditaduras, culturas diversas e líderes com toda natureza de temperamento. De esquerda e de direita. Experiências, todas, muito distintas da brasileira. Porque nós, também, poderíamos ter feito tudo diferentemente. Esta edição de sábado é o que melhor produzimos, cá no Meio. E todos os assinantes premium a recebem. A assinatura é coisa pouca, seu valor no tempo da inflação Bolsonaro não chega ao valor dum chope. Menos de ... (Leia mais)

25 de Março de 2021

300 mil

Prezadas leitoras, caros leitores — A partir de amanhã, São Paulo e Rio de Janeiro, as maiores cidades do país, entram em um “megaferiado” de dez dias na tentativa de conter a circulação de pessoas e, consequentemente, do Sars-Cov-2, revertendo o colapso nos sistemas de saúde. Embora tenha sua equipe baseada nas duas cidades, o Meio não vai parar. Nossa produção é feita de forma remota, não acarretando riscos aos profissionais. E, principalmente, a informação de qualidade é mais necessária que nunca. A Covid-19 já matou mais de 300 mil brasileiros sem dar sinais de recuo. Contra o vírus em si, o jornalismo de qualidade pode pouco, mas cabe a ele enfrentar os aliados deste morticínio: a desinformação e o negacionismo. Assim, o Meio será enviado normalmente amanhã, no sábado para assinantes premium (assine, custa pouco), e ao longo da próxima semana, com exceção do dia 2 de abril, feriado ... (Leia mais)

24 de Março de 2021

Bolsonaro mente enquanto Brasil passa dos 3 mil mortos por dia

No dia em que o Brasil ultrapassou 3 mil mortes diárias por Covid-19, o presidente Jair Bolsonaro foi à TV e, mesmo mudando de tom, voltou a mentir sobre as ações do governo contra a doença. Bolsonaro disse que 2021 será o “ano da vacinação dos brasileiros”, sem mencionar que hoje o Ministério da Saúde reduziu pela sexta vez a previsão de entrega de imunizantes, com 12 milhões de doses a menos. Negou que fosse contra vacinas, embora tivesse criticado e ironizado a CoronaVac, produzida pelo Instituto Butantan e a mais aplicada no país. Segundo o presidente, ele se “empenhou pessoalmente” na compra de vacinas da Pfizer, omitindo que o governo, no ano passado, ignorou uma oferta de 70 milhões de doses feita pelo laboratório. Veja 11 pontos discrepantes entre a fala de Bolsonaro e a realidade. (Folha) O pronunciamento foi recebido com panelaços em pelo menos 13 capitais e ... (Leia mais)

23 de Março de 2021

Ministério da Saúde está acéfalo no pico da pandemia

O Palácio do Planalto não sabe o que fazer com o general Eduardo Pazuello. Ele já está informalmente destituído de poder mas ainda formalmente ministro da Saúde. O presidente Jair Bolsonaro não quer exonerar o militar sem lhe garantir foro privilegiado — o receio é de uma onda de processos por inépcia na gestão da pandemia. Ao menos um inquérito já existe no STF. Uma das ideias é criar um Ministério da Amazônia para deixá-lo a salvo da Justiça comum. Vai fazer uma semana que o país tem dois ministros da Saúde — e é o sem poder que tem a caneta. (O ECO) Pois é... A indefinição sobre o destino de Pazuello torna indefinida também a posse do cardiologista Marcelo Queiroga, adiada informalmente já duas vezes. A previsão agora é de que a cerimônia ocorra na quinta-feira, mas o governador e os parlamentares da Paraíba, estado-natal do ministro, ainda ... (Leia mais)

22 de Março de 2021

Com popularidade em queda, Bolsonaro ameaça

Prezadas leitoras, caros leitores — Queremos conhecer vocês melhor. Somos, ao todo, uma comunidade de 120 mil assinantes da newsletter, mais de 60 mil no YouTube — e outras tantas dezenas de milhares nas outras redes. Obrigado por nos acompanhar. A desinformação é, hoje, a maior ameaça à democracia. Nosso principal esforço, cá no Meio, é de injetar informação de fácil acesso, prática de consumir, nas veias digitais. Em 2019, fizemos uma pesquisa para compreender quem nos acompanha. Aumentamos tanto desde então — sequer fazíamos vídeos, por exemplo, tampouco havia uma pandemia no mundo. É hora de uma nova edição. Não toma tempo e a pesquisa é 100% anônima — não saberemos quem preencheu e como. E vai nos ajudar a planejar o futuro. Por favor, responda. Muitíssimo obrigado =) — Os editores Compartilhe Tweet Compartilhe Com popularidade em queda, Bolsonaro ameaça “Só Deus me tira daqui.” A exclamação enfurecida ... (Leia mais)

20 de Março de 2021 | PREMIUM

Edição de Sábado: O pior presidente da história

É sempre uma tarefa ingrata definir quem é um bom líder político e quem não é — e isso vale mesmo para os líderes do passado. A política é sempre percebida pelas lentes das simpatias ideológicas e, com frequência demais, o líder bom parece ser aquele com quem compartilhamos ideias. Mas há critérios objetivos, também, principalmente quando falamos daqueles que ocupam cargos de comando. Que ocupam, por exemplo, a presidência da República. Trinta e sete homens e uma mulher estiveram nesta cadeira desde a proclamação, em 1889. Alguns estiveram ali por só alguns dias — Carlos Luz, Ranieri Mazzilli. Outros foram eleitos mas não tomaram posse e, por isso, não entram na conta. Júlio Prestes foi deposto antes, Tancredo Neves morreu. Ainda assim, alguns critérios objetivos são possíveis de ser estabelecidos. A presidência, afinal, tem objetivos. De cara, a ideia é entregar um país melhor. É construir um ambiente onde ... (Leia mais)

19 de Março de 2021

Bolsonaro vai ao STF contra isolamento

Prezadas leitoras, caros leitores — A palavra da semana foi genocida. Se a aplicação do termo é correta ou não, do ponto de vista da tipificação legal, é um debate para juristas. Mas, conforme o Brasil entra no pior momento da pandemia é inevitável que tenhamos de encarar fatos. O presidente Jair Bolsonaro se recusou a comprar vacinas quando ainda era cedo para garantir o estoque para rápida imunização dos brasileiros. Ele insiste em defender um tratamento precoce que, de acordo com os cientistas que testaram em exames clínicos, não têm qualquer eficácia. Bolsonaro boicota a política de isolamento social que inclina para baixo o número de casos. Não precisava ter morrido um número tão grande de pessoas. E, com Donald Trump fora do jogo, é difícil encontrar no mundo um chefe de Estado com o discurso que faz o presidente brasileiro. Bolsonaro é único. Em um vídeo faz uns ... (Leia mais)