26 de Maio de 2022

PSDB impõe condições pelo apoio a Tebet

Em que pese MDB e Cidadania já terem batido o martelo em favor da candidatura da senadora emedebista Simone Tebet (MS) à presidência, o PSDB, terceiro partido da aliança endurece o jogo. O presidente da legenda, Bruno Araújo, que ajudou a montar o cenário para a desistência do ex-governador paulista João Doria, condiciona o apoio a Tebet à reciprocidade em três estados considerados cruciais pelos tucanos: Rio Grande do Sul, Pernambuco e Mato Grosso do Sul, terra da candidata. “Só vai ter sentido formalizarmos a reunião da executiva quando essa construção política e programática estiver consolidada”, diz Araújo. Ele acrescentou ainda considerar natural que o vice na chapa de Tebet seja de seu partido. (Estadão) Tebet recebeu ontem um aceno de peso entre os tucanos. O senador Tasso Jereissati (CE) disse que o apoio a ela “deve prevalecer” no partido e ainda indicou o ex-governador gaúcho Eduardo Leite como candidato ... (Leia mais)

25 de Maio de 2022 | PREMIUM

Os três "golpes" de Jair Bolsonaro

O sistema político de 1988 foi construído deliberadamente contra a herança autoritária do regime militar. A Constituição que lhe serve de baliza jurídica consagrou uma arquitetura institucional pautada por princípios e valores capazes de comportar governos liberais democráticos, como o de Collor e Fernando Henrique; social-democratas, como o de Lula e Dilma; e conservadores, como o de Sarney e Temer. A crise de legitimidade do sistema representativo tornada aguda entre 2013 e 2018 tornou possível, porém, a emergência de uma direita radical, inimiga do Estado de Direito da Nova República. Desde então, o fantasma do golpe tem assombrado nossa democracia. O questionamento do resultado da eleição presidencial de 2014 por Aécio Neves foi denunciado como “tentativa de golpe”; a Lava Jato, como um conjunto de sucessivos “golpes” em formas jurídicas (o “lawfare”); e o impeachment de Dilma Rousseff, como “golpe parlamentar”. A própria eleição de Bolsonaro teria sido possível graças ... (Leia mais)

25 de Maio de 2022

Brasil e EUA vivem terça sangrenta

Pelo menos 22 pessoas, incluindo uma moradora atingida por bala perdida, morreram numa operação da Polícia Militar e da Polícia Rodoviária Federal na Vila Cruzeiro, uma das favelas do complexo da Penha, na Zona Norte do Rio. Foi a terceira ação policial mais letal na história do estado. A PM identificou dez dos mortos, incluindo a moradora Gabrielle Ferreira da Cunha, de 41 anos, baleada dentro de casa. Somente quatro deles tinham anotações policiais. A Defensoria Pública do Estado protestou contra ação, justificada pela PM ao Ministério Público pela suposta movimentação de 50 líderes de uma facção criminosa. Após a operação, moradores fizeram um protesto. (UOL) Para o comando da PM do Rio, a responsabilidade pela violência é do Supremo Tribunal Federal (STF), que limitou operações em favelas devido à pandemia da covid-19. Os policiais alegam que criminosos de outros estados passaram a se esconder no Rio após a decisão ... (Leia mais)

24 de Maio de 2022

Com Doria fora, Aécio trabalha para implodir 3ª via

O anúncio pelo ex-governador paulista João Doria de que abriu mão da candidatura ao Planalto pode ter facilitado o acordo entre PSDB, MDB e Cidadania para uma chapa única. Mas não o garante. Como narra a Coluna do Estadão, os tucanos trabalham agora para conter mais um movimento liderado pelo deputado Aécio Neves (MG). Ele tenta forçar o lançamento de candidato próprio da sigla, possivelmente o ex-governador gaúcho Eduardo Leite. A cúpula prefere cumprir o acordo já feito de apoiar a senadora Simone Tebet (MDB-MS). Para evitar que o movimento ganhe força, a Executiva tucana cancelou a reunião marcada para hoje, onde seria discutido o apoio a Tebet. MDB e Cidadania mantiveram seus encontros nesta terça, mas o PSDB só vai discutir a candidatura única no dia 2 de junho. (Estadão) Muito emocionado, Doria comunicou a desistência após se reunir com o presidente do PSDB, Bruno Araújo, um dos principais ... (Leia mais)

23 de Maio de 2022

Governo desvia de pobres afetados pela covid para comprar tratores

O governo desviou para a compra de tratores R$ 89,8 milhões que deveriam ser usados para auxiliar comunidades pobres impactadas pela pandemia de covid-19. A aquisição dos equipamentos foi feita sem que houvesse uma lista de municípios beneficiados e contraria uma orientação do Tribunal de Contas da União. O TCU autorizou o uso da verba exclusivamente para “o custeio de despesas com enfrentamento do contexto da calamidade relativa à pandemia de covid-19”. Além de não ter relação com a pandemia, a compra de tratores é investimento, não custeio. A verba foi retirada do programa de Fomento Rural, voltado para famílias pobres no campo. Especialistas apontam que as propriedades dessas famílias são, em geral, pequenas demais para o uso das máquinas compradas. (Folha) Enquanto isso... O presidente Jair Bolsonaro Bolsonaro (PL) participou na sexta-feira de um evento para empresários no interior de São Paulo com a presença do bilionário americano Elon ... (Leia mais)

21 de Maio de 2022 | PREMIUM

Edição de Sábado: Perigo de Extinção

Numa fusão ambígua de pragmatismo com nostalgia, Aécio Neves descrevia o que acreditava ser a atual situação do PSDB, sigla que presidiu entre 2013 e 2017. “Nosso problema foi criado por nós e nós é que temos que resolvê-lo”, falou o Aécio pragmático. O “problema” é o PSDB decidir se terá um candidato à Presidência da República próprio em 2022 e se ele será o ex-governador de São Paulo João Doria, escolhido em prévias no mínimo confusas. A forma dolorosamente pública com que o partido tem lidado com o “problema” contribui para a ideia de esfacelamento tucano. Aécio nostálgico, então, tomou a palavra. “Ele [Doria] teria de fazer um gesto de coragem, de desprendimento, como o que Franco Montoro fez em 1984. Eu era secretário do meu avô, Tancredo, viajamos tarde numa noite para São Paulo. E Tancredo foi dizer ao Montoro que era ele o candidato ao colégio eleitoral. ... (Leia mais)

20 de Maio de 2022

Bolsonaro acirra embate contra Poder Judiciário

Prezadas leitoras, caros leitores — Os ventos da discórdia sopram à la ciclone Yakecan na biruta que norteia os tucanos. Partido maduro, nas vésperas de completar 34 anos, o PSDB vive uma crise antecipada de meia idade de maneira absolutamente pública. Mas a história de bicadas entre os próceres da legenda é tão antiga que se tornou clichê. O que está em jogo agora vai além de qual grupo sairá vencedor da atual cizânia. É sobre como e se o partido vai sobreviver. O eixo de polarização política no Brasil mudou. E a estereotipada tendência tucana de se postar em cima do muro não tem mais a aceitação de outros ciclos. Na Edição de Sábado, vamos ouvir membros do PSDB e cientistas políticos para analisar os erros e acertos do passado e os caminhos para que haja futuro para a legenda. Traremos ainda uma entrevista com o pesquisador Carlos Ramos, ... (Leia mais)

19 de Maio de 2022

Presidentes de PSDB, Cidadania e MDB apontam Tebet candidata

A senadora Simone Tebet (MDB-MS) foi apontada candidata de consenso à presidência da República pelos presidentes de seu próprio partido, Baleia Rossi, do PSDB, Bruno Araújo, e do Cidadania, Roberto Freire. A indicação, porém, não é oficial, pois precisa ser referendada pelas Executivas Nacionais das três legendas, que devem se reunir separadamente na próxima terça-feira. Entre os tucanos, há ainda a questão do ex-governador João Doria, que venceu as prévias do partido e, como conta Gerson Camarotti, insiste que não vai desistir da candidatura, a despeito da pressão interna. (g1) O nome de Tebet foi sacramentado pelos presidentes devido a uma pesquisa qualitativa-quantitativa para avaliar as perspectivas dela e de Doria junto ao eleitor. Segundo Tales Faria, o resultado indicou que o ex-governador, estacionado em 3% das intenções de votos, não tem margem para crescer. Como a pesquisa não foi registrada, seus resultados não podem ser divulgados. Fontes disseram, porém, ... (Leia mais)

18 de Maio de 2022 | PREMIUM

O Judiciário no centro dos projetos de poder

Períodos pré-eleitorais, normalmente, são marcados por discussões sobre a situação econômica e social do país e por diferentes propostas sobre a maior ou menor presença do Estado, de como combater a pobreza, a inflação, o desemprego. Novas pautas, contudo, surgiram nos últimos anos, indicando mudanças. Temas considerados pacificados voltaram à tona, como o papel da ciência, a separação entre religião e estado, a inexistência de poder moderador no regime republicano, benefícios da educação presencial, universalização da saúde, benefícios da vacinação e imunização. A nova agenda foi alimentada, em grande parte, por convicções anticientíficas e por projetos de concentração de poder. O negacionismo acabou por abarcar diversos temas, inclusive aqueles que sempre pareceram um ganho. Dentre eles, a eficiência de urnas eletrônicas e a confiança nos procedimentos e resultados eleitorais, conquistas reconhecidas até no exterior. O atual presidente, candidato a um novo mandato, em campanha desde a posse, levantou suspeitas sobre ... (Leia mais)

18 de Maio de 2022

Bolsonaro processa Moraes, que presidirá TSE nas eleições

O presidente Jair Bolsonaro (PL) protocolou uma notícia-crime no Supremo Tribunal Federal (STF) contra um ministro da própria Corte, Alexandre de Moraes, a quem acusa de abuso de autoridade. Ele questiona a decisão do ministro de incluí-lo no inquérito das fake news mesmo depois de a Polícia Federal concluir que não houve crime no vazamento de informações sobre uma investigação de ataque hacker ao TSE. Veja a íntegra da notícia-crime. Alexandre de Moraes será o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) durante as eleições de outubro. (Poder360) Então... Alimentar o conflito permanente com as Cortes superiores é uma estratégia da retórica bolsonarista desde o início de seu mandato. Ela se intensificou neste 2022, ano de eleições. Mas foi também neste ano, em fevereiro, que Jair Bolsonaro revelou o que está por trás desse jogo. “Mais importante do que eleição para presidente são as duas vagas para o Supremo no ano ... (Leia mais)

17 de Maio de 2022

Doria ameaça ir ao TSE contra um PSDB sob risco de implosão

Os advogados do ex-governador João Doria pretendem recorrer já ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) contra qualquer decisão que ameace a candidatura dele tomada na reunião do PSDB marcada para hoje. O presidente do partido, Bruno Araújo, convocou o encontro da Executiva Nacional mais as bancadas na Câmara e no Senado após Doria divulgar uma carta em que classificou como golpe a contratação de pesquisas para escolher um candidato único de PSDB, Cidadania e MDB. (Estadão) Pré-candidata do MDB e tida como nome preferido da aliança, a senadora Simone Tebet (MS) disse ontem que, se for vencedora nas pesquisas encomendadas, seguirá “firme e forte” com sua candidatura, mesmo que Doria não aceite o resultado. “Nós aceitamos as regras do jogo, e amanhã temos o resultado dela”, afirmou. (UOL) Num discurso exaltado em evento de supermercadistas, o presidente Jair Bolsonaro (PL) voltou a dizer que “a liberdade é mais importante que a ... (Leia mais)

16 de Maio de 2022

Doria acusa cúpula tucana de golpe e racha terceira via

Prezadas leitoras, caros leitores — Não, hoje não é sexta-feira. E, ainda assim, tem charge no Meio. E elas serão mais frequentes. Os autores são os mesmos, a turma do Grupo de Risco — João Spacca, Orlando Pedroso, Marcelo Martinez — que vão se alternar segundas e quartas — e, claro, a quadra se completa com a voltas das charges de nosso diretor de arte, Tony de Marco, toda sexta-feira. O noticiário não anda dos mais animadores, às vezes precisamos doutras linguagens para quebrar o gelo. Não é? — Os editores. Compartilhe Tweet Compartilhe Doria acusa cúpula tucana de golpe e racha terceira via A negociação para uma candidatura única com MDB e Cidadania ampliou a crise no PSDB ao longo do fim de semana. No sábado, o ex-governador João Doria, que venceu as prévias do partido, enviou uma carta ao presidente da legenda, Bruno Araújo, classificando como golpe a ... (Leia mais)

14 de Maio de 2022 | PREMIUM

Edicão de sábado: A Rússia no atoleiro

Em pouco mais de dois meses de guerra na Ucrânia, a Rússia perdeu pelo menos 650 tanques de guerra — metade não por terem sido destruídos, mas porque foram abandonados. É o número confirmado. Os ucranianos dizem que foram 1.200. Os russos perderam também três navios de grande porte, abatidos por mísseis. Um deles, o cruzador Moskva (vídeo), era o mais importante da frota do Mar Negro. Até o último dia 6, o Kremlin admitia a morte de 1.351 soldados, mas não incluía na planilha oficial os outros 2.100 milicianos que lutavam ao seu lado e também foram reconhecidamente mortos. A estimativa do governo americano é de que as perdas passam dos dez mil homens. Para os britânicos vai além dos 15 mil. (Em quase vinte anos de presença no Iraque, morreram 4.431 soldados americanos.) Pelas contas da imprensa, e esta talvez seja a lista de obituários mais surpreendente, 12 ... (Leia mais)

13 de Maio de 2022

Fachin: Quem cuida da eleição são as forças desarmadas

Prezadas leitoras, caros leitores — Nas semanas anteriores à invasão da Ucrânia, os analistas do Instituto para o Estudo da Guerra se debruçaram sobre as imagens de satélite com indicações de onde as tropas russas estavam concentradas. Os respeitados analistas em Washington, que com frequência prestam serviços ao Pentágono, concluíram que a Rússia faria uma invasão massiva ao país para um ataque concentrado à região de Donbas. É uma área próxima da Crimeia, que já era controlada por Moscou, e ainda por cima toda ligada por fronteira à Rússia. Um lugar onde as pessoas falam russo no cotidiano. A invasão, eles calcularam, seria com forças mecanizadas, principalmente tanques, possivelmente apoiados por caças e mísseis. Estavam, os analistas, errados. Houve, sim, o avanço na direção de Donbas. Mas o Kremlin abriu outra frente, no centro do país, com o intento de cercar a capital Kiev. Com apoio aéreo ralo. A Rússia ... (Leia mais)

12 de Maio de 2022

Mais um ministro bolsonarista promete privatizar Petrobras

O novo ministro de Minas e Energia, Adolfo Sachsida, pedirá estudos ao governo sobre como privatizar a Petrobras e a Pré-Sal Petróleo S.A. (PPSA) — estatal responsável por gerir os contratos da União no pré-sal. Este será, ele diz, seu primeiro ato no cargo. Defendeu também que se avance na privatização da Eletrobras com medidas prioritárias a serem aprovadas pelo Congresso. A indicação de Sachsida acontece em meio à insatisfação do presidente Jair Bolsonaro (PL) com os reajustes nos preços dos combustíveis, que teriam motivado a troca de comando do ministério. Sachsida substituiu nesta quarta-feira Bento Albuquerque, exonerado ontem. (Poder360) Mas não é só isso. Bento Albuquerque também resistia ao projeto de construção de gasodutos pelo país, conta Mônica Bergamo. A proposta, que tem custo de R$ 100 bilhões e é patrocinada pelo Centrão, está travada na Câmara desde 2015 por falta de consenso sobre seu financiamento. O Centrão queria ... (Leia mais)

11 de Maio de 2022 | PREMIUM

Coalizão, para que te quero?

O cientista político Carlos Pereira, professor da Escola Brasileira de Administração Pública e de Empresas da Fundação Getulio Vargas (FGV EBAPE), não está disposto a simplesmente desqualificar o Centrão e seu papel moderador no presidencialismo de coalizão que vigora no Brasil. Acredita que, por incontornáveis no multipartidarismo, as coalizões devem ser eficientes. Presidentes eleitos precisam encontrar a fórmula paradoxal de agradar seu eleitor e um Congresso nem sempre alinhado com o programa que o elegeu. Não satisfeito, Pereira, doutor em Ciência Política pela New School University, de Nova York, criou essa fórmula. Ela consiste em: equilibrar um número não tão grande de aliados; escolher partidos que sejam em alguma medida homogêneos; que não estejam tão distantes do pensamento mediano do Congresso; e distribuir entre eles ministérios e recursos proporcionais a sua relevância política. Tudo isso sem alienar seu eleitor. É um cálculo repleto de pragmatismo, com menos espaço para a ... (Leia mais)

11 de Maio de 2022

STF une investigações de ataque de Bolsonaro às eleições e das milícias digitais

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo, determinou ontem que os ataques feitos pelo presidente Jair Bolsonaro (PL) às urnas eletrônicas e ao sistema eleitoral devem ser investigados em conjunto com o inquérito da suposta milícia digital que atua contra a democracia. Em fevereiro, Moraes já havia autorizado a Polícia Federal a usar provas sobre o vazamento por Bolsonaro de uma investigação sigilosa no TSE no inquérito das milícias digitais. A unificação destes inquéritos atende a um pedido da Procuradoria-Geral da República. (CNN Brasil) Bela Megale: “A falta de uma defesa enfática do presidente do STF, Luiz Fux, e do ministro Gilmar Mendes diante de ataques de Bolsonaro às eleições tem sido criticada por membros de cortes superiores. A postura de ambos de poupar o presidente é atribuída por magistrados a um outro processo que corre na cúpula do Judiciário: a escolha de juízes para integrar o STJ. Hoje, tanto ... (Leia mais)

10 de Maio de 2022

TSE rejeita sugestões de militares para eleições

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) informou ontem ter rejeitado as novas sugestões das Forças Armadas para mudanças no processo eleitoral já para o pleito deste ano. Segundo a equipe técnica da Corte, os militares confundem conceitos e erram cálculos quando apontam riscos inexistentes nos testes de integridade das urnas eletrônicas. Das sete sugestões enviadas pelas Forças Armadas, quatro já estão implementadas ou previstas em lei. As outras três foram rejeitadas. Uma delas recomendava apuração paralela nos TREs, o que já ocorre. O TSE também nega que exista uma “sala secreta”, como constantemente insinua sem provas o presidente Jair Bolsonaro (PL). O presidente da Corte, ministro Edson Fachin, afirmou que a Justiça Eleitoral tem historicamente assegurado a “realização de eleições íntegras em nosso país”. (Folha) O ministro da Defesa, general Paulo Sérgio Nogueira, pediu ontem a Fachin para integrar a Comissão de Transparência Eleitoral (CTE) no lugar do atual representante dos ... (Leia mais)

9 de Maio de 2022

Bolsonaro é o 1º desde o real a deixar salário-mínimo menor

Caso não se reeleja, Jair Bolsonaro (PL) será o primeiro presidente desde a implantação do real a deixar o salário mínimo com um poder de compra menor, descontada a inflação, do que o de quando quando chegou ao governo. Segundo a corretora Tullett Prebon Brasil, que fez o cálculo, a perda será de pelo menos 1,7%, caso a alta nos preços de estabilize. (Globo) Outro contraste é na política de reforma agrária. Aprofundando o modelo do governo Temer, Bolsonaro praticamente extinguiu o processo de desapropriação de terras e assentamento de famílias no programa brasileiro de reforma agrária. Em vez disso, foi acelerada a entrega de títulos de propriedade a famílias já assentadas em governos anteriores. O orçamento para compra de terras, que era de R$ 930 milhões em 2011, hoje não passa de R$ 2,4 milhões, enquanto o número de famílias assentadas entre 2019 e 2020 ficou em 9,2 mil, ... (Leia mais)

7 de Maio de 2022 | PREMIUM

Edicão de sábado: O político camuflado

Na manhã do dia 10 de agosto de 2021, o céu de Brasília estava aquele deslumbre de sempre. Um proverbial céu de brigadeiro, condizente com a parada militar que aconteceria na praça dos Três Poderes. Uma centena, se tanto, de camisas verde-amarelas vibravam a cada um dos 40 tanques e caminhões que atravessavam a larga avenida. Na rampa do Planalto, os chefes das Forças Armadas, fardados, assistiam ao desfile, ladeados por outros dois militares, esses trajados de ternos. Um, o presidente da República, o capitão reformado Jair Bolsonaro. O outro, o então ministro da Defesa, idealizador da parada, o general da reserva Walter Souza Braga Netto. Os sorrisos contidos de Braga Netto reprimiam seu fascínio por tanques de guerra. No figurino civil ou no militar, a discrição marca a atuação do general, na reserva desde fevereiro de 2020. Mas sua desafetação não é sinônimo de comedimento. O desfile aconteceu no ... (Leia mais)